Setor financeiro vê com mais atenção questões ligadas à sustentabilidade

Encontro realizado em Bruxelas, na Bélgica, mostra a importância das finanças sustentáveis para o setor

No último dia 21, representantes do setor financeiro mais comprometido com as “finanças sustentáveis” participaram de um encontro, em Bruxelas, na Bélgica, promovido pela Comissão Europeia. Na oportunidade, foi discutido o documento Mudando de Marcha, elaborado em conjunto com a ONU Meio Ambiente.

Para o professor José Eli da Veiga, trata-se de uma “excelente notícia”, visto que, até os anos 2012 e 2013, grande parte do setor financeiro considerava as questões ligadas à sustentabilidade apenas “perfumaria”. Contudo, algumas empresas do setor produtivo se mostravam imbuídas do novo valor da sustentabilidade, como as ligadas ao setor energético e agrícola. “Elas tocavam ações importantes, mas sem apoio dos bancos e das financeiras.”

Eli da Veiga tem algumas hipóteses para explicar essa mudança de pensamento. Uma delas é a postura das empresas de seguros. Entre 2005 e 2013, as catástrofes naturais, como o Furacão Katrina (2004), somadas à crise econômica mundial de 2008, fizeram com que essas empresas levassem mais a sério os relatórios do IPCC, da ONU. “Uma das principais previsões dos relatórios é que as anomalias climáticas e os desastres naturais tenderiam a ser mais frequentes”, informa o colunista. E hoje, às 1o horas, no auditório da Unibes-Cultural, haverá o lançamento do livro de sua autoria O Antropoceno e a Ciência do Sistema Terra.

Ouça no link acima a íntegra da coluna Sustentáculos.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •