Servidores públicos tinham R$ 176 bilhões em consignados em 2018

Os servidores públicos fecharam o ano passado com uma dívida de quase R$ 180 bilhões, com isso o Superior Tribunal de Justiça limitou o parcelamento em 30%

 26/02/2019 - Publicado há 3 anos
Por

O primeiro boletim do Em Dia com o Direito desta semana fala sobre endividamento. Uma pesquisa da Confederação Nacional do Comércio revelou que 57% das famílias brasileiras estavam endividadas em 2017 e que 9% delas não teriam condições de pagar as dívidas.

O superendividamento é um fenômeno que ocorre quando as dívidas extrapolam a capacidade de pagamento, muitas vezes em sucessivos refinanciamentos, atraídos pela facilidade de créditos. Os servidores públicos, segundo o Banco Central, até o final de 2018 deviam mais de R$ 176 bilhões em empréstimos consignados.

Este problema chegou até o Superior Tribunal de Justiça (STJ), que determinou a limitação do porcentual de desconto de parcelas de empréstimos em conta corrente, não podendo assim ultrapassar 30%. Os ministros reconheceram ainda o risco da subsistência do consumidor e de sua família, se o teto salarial fosse ultrapassado.

Em Dia com o Direito é produzido e apresentado por alunos do curso de especialização em Direito Civil: Novos Paradigmas Hermenêuticos nas Relações Privadas e coordenado pelo professor Nuno Coelho, da Faculdade de Direito de Ribeirão Preto (FDRP) da USP.  

Ouça, no link acima, a íntegra do boletim.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.