Sertão de Canudos tem a maior biblioteca rural do mundo

Com 55 mil volumes, coleção foi formada por Alagoinha, um ex-estudante da USP

O povoado de São José do Paiaiá, no sertão de Canudos, na Bahia, abriga a maior biblioteca rural do mundo, formada por Geraldo Moreira Prado, conhecido como Alagoinha.

Migrante nordestino, Alagoinha trabalhou como faxineiro e morou no centro de São Paulo antes de entrar na USP, no final dos anos 60. Inicialmente matriculado em Chinês, transferiu-se depois para o curso de História. Teve como professores nomes como Florestan Fernandes, Antonio Candido, Emília Viotti e Sérgio Buarque de Holanda.

Atualmente com cerca de 55 mil volumes, a coleção de livros de Alagoinha teve início ainda em São José do Paiaiá. O seu primeiro livro foi Na Sombra do Arco-Íris, de Malba Tahan, doado pela sua professora primária Maria Ivete Dias, mãe da hoje cantora Ivete Sangalo, que na época trabalhava na escola local. Uma de suas preciosidades é uma coleção completa das obras do dramaturgo francês Molière (1622-1673), do século 18.

Essa história foi contada pela professora Marisa Midori em sua coluna Bibliomania, transmitida no dia 18 de outubro de 2019 pela Rádio USP (93,7 MHz).

Ouça no link acima a íntegra da coluna.


Bibliomania
A coluna Bibliomania, com a professora Marisa Midori, vai ao ar toda sexta-feira às 9h00, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •