Saiba quais são os riscos do uso de psicofármacos na gestação

Parto prematuro e má formação do feto podem ocorrer devido ao tratamento com esses remédios

O primeiro boletim Pílula Farmacêutica desta semana, fala sobre as complicações e riscos do uso de psicofármacos durante a gestação. 

O tratamento com psicofármacos durante a gravidez oferece riscos. Entre eles estão, o parto prematuro e também os perigos teratogênicos, que podem levar à malformação do feto. 

O período que exige maior atenção é durante a organogênese, que ocorre nas primeiras 12 semanas de gestação. Os riscos variam de acordo com as classes de medicamentos, podendo ser menores ou maiores, existindo alguns tipos totalmente contra indicados para mulheres grávidas. 

A conduta médica deverá avaliar individualmente cada paciente e levar em conta a gravidade dos casos para que, assim, possa ser oferecido o melhor tratamento ou opção para a gestante. 

O boletim é apresentado pelos alunos de graduação da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) da USP, com supervisão da professora Regina Célia Garcia de Andrade. Trabalhos técnicos de Luiz Antonio Fontana.

Ouça acima, na íntegra, o boletim Pílula Farmacêutica.

 

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.