Rock passou por renovações conceituais no início do século 21

Anteriormente cheio de críticas sociais e sons “pesados”, o rock tornou-se meio para fugir da vida real

Nesta edição do programa História do Rock, o professor Mario de Vivo fala do rock no século 21, e faz reflexões e análises de músicas para determinar se o gênero apenas seguiu os rumos que vinha trilhando ou se renovou, apresentando novas musicalidades e questões culturais.

De acordo com o professor De Vivo, no início do século 21 “os ingleses viam na música uma forma de fugir da vida ‘ordinária’ e sentirem-se mais leves, algo que foi trabalhado também por outras culturas e bandas”.

O professor também fala que, na verdade, o rock deste século não segue um único padrão, “os subgêneros do rock se tornaram cada vez mais nichados e com públicos cada vez mais específicos. No século passado, o rock era um produto pesado, cheio de críticas sociais, e esse ciclo se fechou.”

Ouça no link acima a íntegra do programa História do Rock.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.