Revisão de delações no âmbito da Lava Jato é colocada em debate

Especialista fala sobre a importância do procedimento e traz outros esclarecimentos sobre o assunto

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

No último dia 27, o ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores, João Vaccari Neto, foi absolvido de uma das condenações que recebeu no âmbito da Operação Lava Jato. O julgamento foi realizado no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), em Porto Alegre.

João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores – Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil via Fotos Públicas

Vaccari havia sido condenado, em primeira instância, pelo juiz Sérgio Moro, a 15 anos e quatro meses de reclusão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Segundo publicação do portal de notícias G1 do Rio Grande do Sul, os desembargadores que decidiram pela absolvição consideraram que não havia provas suficientes para condenar o ex-tesoureiro do PT, já que a acusação foi baseada somente em delações premiadas.

A absolvição em segunda instância de Vaccari coloca em pauta a revisão de delações.

O advogado especialista em Direito Público e pesquisador do Núcleo de Pesquisas em Políticas Públicas (NUPPs) da USP, João Pedro Paro, falou em entrevista à Rádio USP sobre o assunto. Ouça no link acima.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados