Reunião do G20 promete ser dominada por tensão entre EUA e China

“A tensão entre as duas superpotências é para o controle da hegemonia global no século 21”, afirma Rubens Barbosa

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O embaixador Rubens Barbosa analisa a reunião do G20, que acontece entre os dias 30 de novembro e 1º de dezembro, em Buenos Aires. O G20 foi criado durante a crise de 2018 e reúne as principais economias do mundo. É uma reunião importante porque, além de temas como segurança internacional e o acordo de Paris, também deverão estar na pauta o comércio internacional e o protecionismo.

De acordo com Barbosa, a reunião de Buenos Aires vai ser dominada pela tensão comercial entre os EUA e a China, que deverá entrar com representação na Organização Mundial do Comercial (OMC) contra aquele país pelas medidas restritivas adotadas em relação ao milho e ao aço.

O embaixador não vê nenhuma perspectiva de mudança desse cenário. Para ele, a confrontação vai permanecer, sendo o primeiro lance de um choque maior entre as duas superpotências para controle da hegemonia global no século 21. “Países de porte médio como Brasil não têm como interferir, por isso, não devemos tomar partido”, complementa.

Ouça no link acima a íntegra da coluna Diplomacia e Interesse Nacional.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados