Respaldo psicológico é primordial para o bom desempenho esportivo

Katia Rubio afirma que a Psicologia do Esporte não se resume a uma palestra que antecede uma competição

  • 162
  •  
  •  
  •  
  •  

Durante a realização de grandes eventos como a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos, a performance dos atletas ganha destaque e gera uma série de debates. A busca pela excelência esportiva passa tanto pelo trabalho físico quanto pelo psicológico. O corpo e a mente precisam estar em plena sintonia para que os objetivos finais sejam atingidos.

Katia Rubio é professora associada da Escola de Educação Física e Esporte da USP e membro da Academia Olímpica Brasileira – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Nesse contexto, a Psicologia do Esporte desempenha um papel fundamental. O controle dos pensamentos e comportamentos é mais do que necessário para a otimização da prática. É importante, no entanto, que as comissões técnicas dos clubes compreendam a presença dos estudiosos dessa área, algo que nem sempre ocorre.   

“Ter a mente quieta, a espinha dorsal ereta e o coração tranquilo, principalmente no momento de maior demanda, é o  que vai fazer a diferença entre o atleta de ponta e o atleta mediano”, observa a professora Katia Rubio, da Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo (EEFE-USP), entrevistada pela Rádio USP. Ela falou ainda sobre a relutância que há em relação à área e acerca de tudo o que gira ao redor do atleta.

Ouça, no link acima, o conteúdo completo.

  • 162
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados