Reposição hormonal é mais segura pela via transdérmica

Segundo Alexandre Faisal, há um aumento do risco de problemas cardiovasculares quando a reposição é por via oral

O médico Alexandre Faisal ressalta, na edição de hoje, que a reposição ou terapia hormonal é um tratamento eficaz para as mulheres na menopausa. O ponto em questão é saber qual a melhor via para esse tratamento.

Faisal comenta que dados do estudo Human’s Health Initiative deram uma “chacoalhada” em relação à decisão de repor ou não hormônios nessa fase de vida da mulher. O estudo mostrou um aumento de risco de doença cardiovascular e tromboembolismo venoso, uma complicação grave, que pode ser fatal, e que se associa à reposição de estrogênios e progesterona.

O médico comprova esses dados com o estudo de pesquisadores brasileiros de Porto Alegre, que fizeram uma meta-análise para elucidar se esse evento tromboembólico na menopausa é mais ou menos frequente em função do tipo de formulação da reposição. “O resultado mostra que há um aumento do risco da reposição hormonal com a via oral. Já as mulheres que usaram a reposição pela via transdérmica mostraram um risco de evento similar às mulheres que não usavam terapia de reposição hormonal”, analisa.

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Saúde Feminina.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.