Relações familiares instáveis afetam a educação das crianças

Não basta apenas melhorar o ensino, tem que melhorar as relações familiares para um aprendizado eficiente, afirma especialista

Na coluna “Reflexão Econômica” desta semana, o professor Luciano Nakabashi fala sobre investimento no ensino. Para ele, “aqueles que pensam na educação como a solução para tudo estão enganados”, pois “o ensino é fundamental, mas não suficiente, para melhorar principalmente a produtividade no trabalho e o nível de desenvolvimento econômico e social das pessoas”.

Nakabashi afirma que fica mais difícil educar crianças vindas de famílias instáveis, pois fatores psicológicos afetam o aprendizado. “Todo o ambiente de casa é fundamental para as crianças que chegam à escola. E é fundamental que os pais auxiliem nas atividades que devem ser feitas em casa.”

Antes de pensar no quesito de como melhorar a educação, deve ser pensado como melhorar o ambiente familiar. “Hoje, a ciência vem descobrindo que um dos elementos que mais afetam as crianças, em relação ao desempenho escolar, é a instabilidade emocional, com brigas em casa e separação, por exemplo.”

Políticas públicas podem ser utilizadas como um meio de amparo para essas famílias. “Bolsa Família é um exemplo de auxílio que, de certa forma, contribui; entretanto, o apoio psicológico é fundamental, tanto para a família quanto para a criança”, diz Nakabashi.

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna do professor Luciano Nakabashi.

 

Textos relacionados