Relações entre China e EUA serão ponto central no encontro do G20

Deste encontro, que começa nesta sexta-feira (30), deverão surgir boas ou más notícias para as relações comerciais entre os dois países

José Eli da Veiga considera que o encontro da Cúpula de Líderes do G20, que acontecerá em Buenos Aires até o dia 1º de dezembro, está entre os mais importantes para a governança global. “Na hierarquia do desenvolvimento sustentável, podemos considerar que o G20 está em segundo lugar, depois do Conselho de Segurança da ONU.” O colunista destaca como principal questão desta edição o comportamento que terão os presidentes Xi Jinping, da China, e Donald Trump, dos EUA, principalmente nos planos comercial e geopolítico. “Neste G20 poderemos ter boas notícias ou cenários piores nesta relação.”

Além disso, Eli da Veiga também ressalta a participação, pela primeira vez, do novo príncipe da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, e mudanças nas correlações de forças. “Donald Trump estará reforçado pela Itália, que não tinha um governo de direita até a última cúpula do G20”, lembra. “O próprio presidente Temer terá a companhia de auxiliares de Jair Bolsonaro no encontro.” O colunista recomenda aos ouvintes que visitem o site do G20 (https://www.g20.org/), onde há um importante documento elaborado por entidades da sociedade civil, o C-20.

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Sustentáculos.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •