Compressão da artéria facial pode diminuir hemorragia dos lábios

Isso é possível porque as artérias labiais superior e inferior se unem ao redor dos lábios

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fotomontagem a partir dos subsídios gráficos com licença Creative Commons de atribuição de Henry Vandyke Carter via Wikimedia Commons / Domínio público

Na segunda edição do Anatomia Responde desta semana, o professor Luis Fernando Tirapelli dá continuidade às sintopias anatômicas no segmento cabeça, falando sobre a artéria facial, que cruza superficialmente o corpo da mandíbula.

O professor explica que a artéria facial, após curto trajeto no pescoço, chega à face, passando superficialmente ao corpo da mandíbula, que fica à frente da margem anterior do músculo masseter, que é um dos músculos da mastigação. Assim, ao realizar uma forte oclusão dentária, ou seja, ao fechar a boca, esse músculo pode ser palpado por meio da anatomia de superfície sob a pele e a pulsação da artéria facial pode ser sentida nesse músculo.

Segundo ele, essa relação anatômica é importante, pois, nos casos de sangramentos dos lábios, as duas artérias podem ser comprimidas sobre o corpo da mandíbula com o objetivo de diminuir a hemorragia, e isso é possível porque as artérias labiais superior e inferior se unem ao redor dos lábios. Tirapelli ressalta que, mesmo com ferimento dos lados ou unilateral de um dos lábios, as duas artérias faciais devem ser comprimidas, exatamente pela presença dessas junções entre as artérias labiais nos dois lados ou antímeros dos lábios.

O boletim Anatomia Responde é produzido pelo professor Luis Fernando Tirapelli, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP e pode ser conferido na íntegra no áudio acima.

 

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados