Regulamentar publicidade infantil pode reduzir consumo de refrigerante

Além dessa medida, taxação do produto e desenvolvimento do senso crítico das crianças são outras alternativas

Por - Editorias: Atualidades, Rádio USP
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Segundo pesquisa do Datafolha, realizada a pedido da ONG ACT Promoção da Saúde, que atua em prol de medidas contra obesidade e doenças crônicas, 52% dos brasileiros são contra propaganda dirigida para crianças. Outro resultado aponta que 74% dos 2.070 entrevistados com mais de 16 anos e de 129 municípios reduziriam o consumo de refrigerantes, se a bebida tivesse um custo mais elevado.

Propaganda veiculada para crianças pode alterar a preferência alimentar – Foto: Visual Hunt

O professor Sebastião de Sousa Almeida, do Departamento de Psicologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP,  fala sobre a influência da publicidade. De acordo com ele, a longo prazo, essa propaganda veiculada frequentemente para crianças pode alterar a preferência alimentar.

Almeida também fala sobre a regulamentação da publicidade e o aumento da taxação para alimentos como refrigerante. Além disso, o professor lembra, estudos mostram que apontar para as crianças as formas de convencimento das propagandas também é uma estratégia. “A criança fica mais crítica e reduz o consumo”.

Por: Giovanna Grepi

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados