Recusa de ajuda estrangeira irá dificultar a preservação da Amazônia

João Paulo Candia Veiga, professor da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, salientou a importância dos investimentos europeus para o combate à destruição da floresta

Recentemente, a Noruega e a Alemanha suspenderam seus repasses ao Fundo Amazônia, após afirmarem que o governo brasileiro descumpre acordos de preservação da floresta. Os repasses correspondiam a 99% da verba total do programa. O professor João Paulo Candia Veiga, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, explicou o funcionamento e a história do Fundo Amazônia.

Além da perda dos investimentos do Fundo Amazônia, o governo brasileiro rejeitou uma ajuda do G7, grupo formado pelas principais potências mundiais, de US$ 20 milhões, para a preservação da floresta. Para João Paulo Veiga, a ajuda seria bem-vinda e não foi aceita por conta do fantasma da internacionalização da Amazônia.

O professor apontou que o conceito de desenvolvimento sustentável precisa ser mais bem aplicado para a manutenção da floresta amazônica, e também ressaltou a importância de envolver governos e municípios para a preservação da Amazônia.

Confira acima a matéria completa.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.