Reciclagem de resíduos de construção e demolição ganha espaço

“O conhecimento que temos e a tecnologia de processo e de aplicação já estão muito maduros para aplicação no setor industrial”, afirma Carina Ulsen

 19/03/2021 - Publicado há 10 meses

 

O êxito da aplicação está em identificar a demanda e, então, pensar nas propriedades do resíduo e do material reciclado a serem aplicadas – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

 

Entre as tecnologias desenvolvidas na Escola Politécnica da USP, pode-se destacar a reciclagem de resíduos de construção e demolição. Em entrevista ao Jornal da USP no Ar 1ª Edição, Carina Ulsen, do Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo e pesquisadora do Laboratório de Caracterização Tecnológica da Escola Politécnica da USP, comenta o tema.

“Nós temos diversas possibilidades de aplicação do material processado. Não dos resíduos, mas dos agregados reciclados, como chamamos. Eles necessariamente passam por uma etapa de processamento. Os nossos estudos são sempre definidos para processar esse material e gerar um produto de melhor qualidade para aplicação na engenharia civil. Hoje, temos tecnologias desenvolvidas para produção de argamassa, concreto… As aplicações são muito amplas”, explica.

Para Carina Ulsen, o êxito da aplicação está em identificar a demanda e, então, pensar nas propriedades do resíduo e do material reciclado a serem aplicadas. “Como é um mercado muito novo, acredito que essa questão mercadológica tinha que ser um pouco mais estudada”, afirma. Seria importante, então, estar mais atento às demandas do mercado. Na Poli, combina-se o conhecimento de transformação dos resíduos em materiais de maior valor agregado com a capacidade de análise das aplicações do material. O grupo de pesquisadores chegou a formar estreitas parcerias internacionais com países como Alemanha e Holanda.

“O que é muito interessante é que nos preocupamos muito em tentar transferir para a sociedade o conhecimento gerado. O conhecimento que temos e a tecnologia de processo e de aplicação já estão muito maduros para aplicação no setor industrial. Os setores de mineração de engenharia civil são conservadores, mas precisam mudar. Acreditamos que não se trata de uma simples substituição de materiais, é necessário aprender a trabalhar com eles e encontrar a melhor forma de incorporá-los”, diz.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 10h45, 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.