Ratos infestam a maior metrópole do País

São Paulo convive com três tipos de roedores: camundongos, ratos de telhado e ratazanas

É provável que você já tenha cruzado com algum nas ruas do centro da cidade, nos bairros mais afastados ou até em casa. Estamos falando de ratos. Os números assustam em São Paulo: a estimativa é de que existam de dez a 15 ratos por habitante, ou seja, cerca de 120 milhões de roedores circulando nos esgotos da maior metrópole do Brasil. Cada ratazana pode gestar entre oito e 12 filhotes, e eles já podem se reproduzir após três meses.

Quem fala sobre o assunto, na entrevista cuja íntegra pode ser acessada pelo link acima, é o biólogo e pesquisador da USP Eduardo de Masi, também analista de saúde da Divisão de Vigilância de Zoonoses de São Paulo, que alertou que o trabalho de controle desses roedores é permanente. O controle de ratos tem como foco a saúde pública, já que eles transmitem diversas doenças, sendo a leptospirose a pior delas. Transmitida por meio da urina, a doença pode levar à morte se não tratada.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.