Brasil não tem política para exploração racional da Amazônia

A afirmação é do professor Alberto do Amaral ao comentar crise gerada pelos incêndios na região amazônica

O presidente Jair Bolsonaro, em razão das queimadas na floresta amazônica, é  alvo de protestos na Europa, Ásia e Américas. A imagem do Brasil ficou completamente afetada tanto com as queimadas na região quanto com a desqualificação do Inpe  (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), que possui credenciais internacionais.

Outro fator que mancha a imagem do País foi a recusa de recursos da Noruega e da Alemanha para o Fundo Amazônia, que ajudaria na preservação e no combate às queimadas, além de Bolsonaro ter atribuído às ONGs – que desenvolvem um sério trabalho de proteção ao meio ambiente no Brasil – a culpa pelos incêndios. Na opinião do professor Alberto do Amaral, o País não tem uma política estruturada para uma exploração racional da Amazônia. A floresta é devastada e suas árvores comercializadas. O tema é o assunto desta semana do professor Alberto do Amaral Jr.

Ouça no link acima a íntegra da coluna Um olhar sobre o mundo.


Um Olhar sobre o Mundo
A coluna Um Olhar sobre o Mundo, com o professor Alberto Amaral, vai ao ar toda segunda-feira às 10h50, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção  do Jornal da USP e TV USP.

.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •