Quarentena afeta principais setores econômicos de Ribeirão Preto

Luciano Nakabashi (FEA-RP) aponta comércio, serviços e setor sucroalcooleiro como os mais atingidos na região

A quarentena, que impôs o isolamento social e o fechamento provisório das atividades econômicas, terá reflexo direto no PIB, o Produto Interno Bruto. Há especialistas que calculam um recuo na ordem de 5% na taxa de crescimento econômico.

No âmbito municipal de Ribeirão Preto, ou mesmo regional, os dados em relação ao Brasil são defasados, segundo o professor Luciano Nakabashi, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA-RP) da USP. Mesmo assim, o professor acredita que os reflexos locais tendem a acompanhar o que ocorre no âmbito nacional.

A crise deverá ser atenuada com ajuda do governo federal, que totaliza R$ 500 bilhões no combate ao novo coronavírus e que inclui R$ 48 bilhões em ajuda a Estados e municípios que sentirão os efeitos da queda na arrecadação. Para o professor, cortar gastos (desde já) e buscar parcerias com a iniciativa privada (quando a situação melhorar) podem ser soluções para a manutenção das contas municipais.

No âmbito da iniciativa privada, Nakabashi acredita que os maiores impactos negativos serão sentidos no comércio, nos serviços e no setor sucroalcooleiro, os três carros-chefes da economia regional. Ainda assim, o professor defende a quarentena, que prevê o isolamento social, com o fechamento das atividades econômicas não essenciais.

Ouça a entrevista no link acima.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.