Como foi possível tirar uma foto de um buraco negro?

Event Horizon Telescope, rede de oito observatórios ao redor do mundo, divulgou esta semana a primeira imagem real de um buraco negro supermassivo

Acaba de ser revelada a primeira foto de um buraco negro supermassivo no centro de Messier 87, uma enorme galáxia no aglomerado de Virgem. Este buraco negro está a 53,5 milhões de anos-luz da Terra e tem uma massa de 6,5 bilhões de vezes a massa do Sol. Esses monstros cósmicos, conhecidos como buracos negros, são pequenos, considerando a escala universal, mas com uma massa imensa a ponto de gerar um efeito gravitacional gigantesco. E que torna impossível a luz escapar deles – daí o nome que recebem. Nesta edição de sua coluna na Rádio USP, o professor João Steiner explica o tamanho do feito da equipe do Event Horizon Telescope, rede de oito observatórios ao redor do mundo responsável pela produção da imagem.

Ouça o astrofísico do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da USP em Entender Estrelas – clique no player acima.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.