Projetos restituem a importância de Luiz Gama para a história do Brasil

Alexino Ferreira observa que “negros, indígenas e mulheres são deixados de lado como sujeitos dos processos históricos”

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Em sua coluna “Diversidades”, que retorna após o breve recesso de final de ano, o professor Ricardo Alexino Ferreira fala sobre a figura do abolicionista Luiz Gama, “bastante injustiçado na história do Brasil”, ainda que tenha sido responsável pela abolição de mais de 500 pessoas escravizadas na segunda metade do século 19. Essa injustiça foi corrigida, porém, pois Gama acaba de ser homenageado por meio de dois projetos de lei de autoria de um deputado federal. Sancionados em 17 de janeiro, os projetos elevam Gama ao status de Patrono da Abolição da Escravidão do Brasil e inserem seu nome no Livro dos Heróis da Pátria.

“Reconhecer que a história do Brasil é feita não somente por homens brancos, mas também por outros grupos étnicos, é um avanço, uma conquista principalmente dos movimentos sociais”, diz Alexino Ferreira. Ele lembra que a história brasileira, até aqui, tem sido contada sob a ótica do colonizador.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados