Projeto de navio de transporte de minérios ganha prêmio na COP26

De acordo com Claudio Muller, o projeto da embarcação utiliza-se de um sistema de velas que permite o uso de energia eólica, reduzindo custos operacionais, consumo de combustíveis e emissões de gases de efeito estufa

 30/11/2021 - Publicado há 2 meses
O Tanque de Provas Numérico envolveu-se com o projeto graças à iniciativa da Vale de empregar equipes de apoio para seus projetos em desenvolvimento e desenvolveu um convênio com a Poli para aprimorar essa tecnologia –  Foto: Marcos Santos/USP Imagens

 

Projeto do primeiro navio de grande porte para transportes de minério de ferro, utilizando velas rotativas da Vale, recebeu  prêmio em evento paralelo à Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2021 – COP26. O projeto conta com a participação da Escola Politécnica (Poli) da USP e o navio é uma das embarcações analisadas pelo Tanque de Provas Numérico (TPN).

“Esse projeto representa um grande avanço”, contou ao Jornal da USP no Ar 1ª Edição Claudio Müller, responsável pelo projeto e professor da Escola Politécnica (Poli) da USP. O projeto diferencia projetos na área de Engenharia Mecânica, pois é um dos únicos a focar na construção da embarcação. O TPN envolveu-se com o projeto graças à iniciativa da Vale de empregar equipes de apoio para seus projetos em desenvolvimento e desenvolveu um convênio com a Poli para aprimorar essa tecnologia.

O sistema de velas utilizado na construção do navio corresponde a uma tecnologia que visa ao aumento do desempenho energético e na redução da emissão de gases de efeito estufa, como o CO2, utilizando-se da energia eólica para isso. Apesar de não ser uma tecnologia nova, o sistema de velas e instrumentos empregados pelo projeto foram atualizados para garantir uma melhora dos resultados.

Outro benefício que a aplicação dessa técnica traz é a redução dos custos operacionais, por reduzir o consumo de combustível, por exemplo, afetando o preço final dos produtos no mercado internacional. Segundo Müller, um dos desafios do projeto é o armazenamento da energia captada pelas velas. Como se trata de um método que tem o vento como fonte de energia, o seu funcionamento depende das correntes atmosféricas, que variam dependendo da região do mundo ou estação do ano.

 


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 10h45, 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.