Professor sugere melhorias para a mobilidade urbana em São Paulo

Mauro Zilbovicius analisa o transporte público por ônibus e as medidas que poderiam ser adotadas para aperfeiçoá-lo

 06/11/2020 - Publicado há 1 ano

Em pouco mais de uma semana, acontecerá o primeiro turno das eleições municipais em São Paulo e uma das questões importantes a serem vistas pelos candidatos à Prefeitura de São Paulo é mobilidade urbana. No Jornal da USP no Ar de hoje (6), o professor Mauro Zilbovicius, do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica (Poli) da USP, compartilha que a revisão de contratos e mais corredores de ônibus estão entre as principais formas de melhorar o transporte público na cidade. 

Para Zilbovicius, o transporte por ônibus deve ser priorizado, já que a mobilidade afeta todo mundo na cidade. “Tem muita gente que, por exemplo, não tem relação com o sistema público de educação ou de saúde, mas, quando se trata da mobilidade urbana, todo mundo usa. De alguma maneira, todo mundo disputa espaço e tempo para se deslocar na cidade.” Isso significa mais corredores de ônibus em um modelo parecido com o “Metrô de superfície”, como explica o professor: “Eu sempre digo que o corredor é uma solução que deveria ser como o Metrô de superfície, o que significa que não pode ter congestionamento no corredor. O corredor não pode ter uma quantidade de ônibus que forme uma fila nos pontos de parada e para isso você tem que ter menos linhas, com mais ônibus.”

Para agilizar a operação nos corredores, o professor cita que o pagamento da tarifa não deve ser feito no ônibus, mas sim nos pontos de parada, de forma a aproveitar o tempo de espera pelo transporte. Outro ponto importante é que a operação dos semáforos priorize a passagem de ônibus. “É tecnicamente e tecnologicamente possível fazer com que o semáforo perceba, através de um sensor, a aproximação do ônibus e interfira no ciclo de programação do semáforo para abrir o mais rápido possível para a passagem do ônibus. Isso não tem em São Paulo e é uma coisa muito fácil de fazer hoje em dia.” 

Com relação à operação do sistema de ônibus na cidade, Zilbovicius compartilha que falta integração entre as duas empresas públicas responsáveis por controlar e organizar o sistema, a SPTrans e a CET. Além disso, a maneira de remunerar as empresas pelo serviço prestado no transporte interfere negativamente na melhoria do sistema, já que a remuneração acontece a partir da produtividade, que eles consideram como mais pessoas por quilômetro. “O contrato permite uma espécie de prêmio para as empresas que conseguirem lotar os ônibus.”

Saiba mais ouvindo a entrevista completa no player acima.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 10h45, 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.