Professor fala sobre descobertas que levaram ao Nobel de Física

A Fundação Nobel destacou que as descobertas de Thouless, Haldane e Kosterlitz “permitiram avanços na compreensão teórica dos mistérios da matéria e criaram novas perspectivas para o desenvolvimento de materiais inovadores”

 14/10/2016 - Publicado há 5 anos

Acompanhe a entrevista do repórter Fabio Rubira com o professor Adalberto Fazzio, do Instituto de Física da Universidade de São Paulo:

.

Cerimonia - Foto: Wikimedia Commons
Cerimônia do Prêmio Nobel – Foto: Wikimedia Commons

O Prêmio Nobel de Física saiu para três pesquisadores britânicos, que trabalham em universidades americanas: David Thouless, Duncan Haldane e Michael Kosterlitz. De acordo com o comitê do Nobel, os cientistas premiados realizaram estudos sobre as chamadas transições de fase topológica da matéria. O trabalho abre caminho para o desenvolvimento de novos materiais com propriedades incomuns.

Em entrevista ao repórter Fabio Rubira, o professor Adalberto Fazzio do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (IFUSP) diz que o estudo “levou à descoberta de novos materiais que têm propriedades diferentes das usuais”. De acordo com ele, antes desse estudo, as fases da matéria baseavam-se em um modelo segundo o qual as mudanças nos estados da matéria eram calcadas em quebras espontâneas de simetria. O que os pesquisadores fizeram foi dar destaque ao conceito quântico, enfatizando “o lado da topologia dos estados quânticos”.  Na prática, significa a impossibilidade de que materiais mudem de fase por se encontrarem em um estado topológico.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.