Pró-Reitor da USP acredita que não haverá cortes para pesquisa

Carlos Gilberto Carlotti Júnior lamenta o fato dessa instabilidade promover o afastamento de possíveis futuros pesquisadores da academia

  • 66
  •  
  •  
  •  
  •  

jorusp

Após a divulgação de um corte orçamentário na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) para o próximo ano, a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e mais 30 entidades, entre elas a USP, se manifestaram contra a medida. O documento afirma que o corte contraria decisão do Congresso que incluiu na Lei de Diretrizes Orçamentárias a proibição de redução de recursos para a educação e a saúde.

O ministro da Educação, Rossieli Soares, afirmou na segunda-feira que as bolsas de estudos de pós-graduação da Capes serão mantidas em 2019. Segundo a Agência Brasil, Soares disse que está discutindo com o Ministério do Planejamento a garantia dos recursos necessários não apenas para a autarquia, mas para “todas as áreas da educação”.

Carlos G. Carlotti Junior é pró-reitor de pós graduação da USP – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

Para esclarecer sobre a posição da USP diante desses possíveis cortes, o Jornal da USP no Ar conversou com Carlos Gilberto Carlotti Júnior, Pró-Reitor de Pós-Graduação.  O professor esclarece que mesmo sendo uma instituição estadual a USP possui vários programas financiados pelo governo federal. Segundo ele, desde o meio do ano, a Universidade acompanha as novas propostas de orçamento para 2019. Em julho, quando se notou alterações no financiamento do Ministério da Educação (MEC) e, consequentemente, da Capes, o reitor Vahan Agopyan se manifestou por meio de uma carta direcionada ao presidente da República. A correspondência tinha como objetivo solicitar que se mantivesse o financiamento do próximo ano acrescido da inflação.

Ministro da Educação, Rossieli Soares da Silva, durante audiência pública promovida pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado – Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Na última semana, após manifestações contrárias aos possíveis cortes, o MEC alegou que não haverá a diminuição de bolsas, mas mesmo assim o pró-reitor acredita que existe a necessidade de todos ficarem em alerta até o fechamento oficial do orçamento para 2019. O professor Carlos Gilberto Carlotti lamenta o fato dessa instabilidade promover o afastamento de possíveis futuros pesquisadores, que estavam hesitantes em iniciar uma pós-graduação, por temer as condições de trabalho. Mas ele tranquiliza os atuais pesquisadores garantindo que acredita que não haverá cortes no financiamento de seus estudos.

Jornal da USP no Ar, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93,7, em Ribeirão Preto FM 107,9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular. Ouça, no link acima, a íntegra da entrevista.

 

  • 66
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados