Privatização do Pacaembu precisa ser discutida

A opinião é de Nabil Bonduki, para quem a Prefeitura poderia aproveitar melhor um dos parques municipais mais importantes da cidade

O Plano Municipal de Desestatização (PMD) do prefeito João Doria, relativo ao Projeto de Lei 367/2017, prevê a gestão privada de símbolos da cidade de São Paulo. O estádio Paulo Machado de Carvalho, o Pacaembu, é um dos espaços a ser concedidos à iniciativa privada. No final de agosto, a Câmara Municipal aprovou a concessão do estádio. A reportagem da Rádio USP conversou com o urbanista Nabil Bonduki, que repercutiu essa questão.

Em sua análise, o professor ponderou a economia de R$ 9 milhões por ano, mas também citou que a exigência de que a empresa arque com todos os custos faz com que a instituição responsável pela administração recorra a outras iniciativas, além das esportivas, para obter lucro.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •