Priorizar a educação é fundamental para o futuro do País

O alerta é do professor Glauco Arbix, cuja coluna aborda as deficiências nacionais na área da educação

  • 42
  •  
  •  
  •  
  •  

O próximo ano promete ser bem movimentado, com um novo governo que deve trazer novas propostas para enfrentar os desafios que virão pela frente. Alguns problemas, no entanto, são velhos, como é o caso da educação. “Nossa educação não é de qualidade, os nossos alunos e alunas não são bem formados e por isso têm muitas dificuldades para conseguir o seu emprego, para conseguir uma vaga naquele local que gostariam de trabalhar para desenvolver as suas potencialidades”, sentencia o professor Glauco Arbix. Ele comenta uma pesquisa recentemente divulgada pela Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), segundo a qual apenas 2,1% dos alunos brasileiros mais carentes conseguem aprender um nível aceitável em ciências, o que é muito pouco – em países desenvolvidos, esse índice chega a 25%.

Não é por acaso, portanto, que o Brasil esteja entre os últimos colocados na lista de países em que o nível educacional deixa muito a desejar. A situação precisa mudar, diz o colunista, mas isso só será possível dando prioridade à educação.

Ouça no link acima a íntegra da coluna Observatório da Inovação.

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 42
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados