Processo de deglutir compromete idosos e recém-nascidos

Dificuldade para trabalhar alimento na boca é um dos sintomas de doenças que atingem o aparelho digestivo superior

  • 3
  •  
  •  
  •  
  •  

O programa Saúde sem Complicações desta semana traz o tema disfagia e para falar sobre o assunto o convidado é o professor Roberto Oliveira Dantas, do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP.

Dantas é médico formado pela FMRP, especialista na área de gastroenterologia em doenças de Chagas, urologia, megaesôfago, esôfago, faringe, motilidade digestiva, deglutição e disfagia. O professor conta que o termo disfagia, segundo o dicionário médico, é uma palavra muito antiga que significa dificuldade de deglutição, isto é, dificuldade para engolir.

O professor conta que disfagia é um problema que afeta o aparelho digestivo superior, isto é, boca, faringe e esôfago, e é mais comum em dois grupos. “Nos recém-nascidos porque eles podem ser prematuros e terem imaturidade para deglutir, isto é, problema para trabalhar o alimento na boca. E nos idosos, que acontece o contrário dos bebês. Não é que eles têm imaturidade, na verdade eles têm a perda da inervação, doenças neurológicas ou até mesmo o próprio processo de envelhecimento, que acaba atrapalhando esse processo” diz Dantas.        

O professor lembra que atualmente são comuns os casos de disfagia em crianças com microcefalia, ou com paralisia cerebral, afinal muitas vezes nascem com algum problema na formação do cérebro, “e com isso tendem a ter dificuldades para comer, afinal o cérebro é um órgão muito importante, é ele quem comanda todos os gestos. Então, se ele tem algum problema é claro que essa pessoa terá dificuldades em algumas funções”.           

O Saúde Sem Complicações é produzido e apresentado pela locutora Mel Vieira com trabalhos técnicos de Mariovaldo Avelino e Luiz Fontana. Direção: Rosemeire Talamone.

Toda a população está convidada a participar do Saúde sem Complicações, tirando dúvidas sobre saúde ou encaminhando sugestões de assuntos para novas discussões pelo e-mail imprensa.rp@usp.br. Acompanhe pela Rádio USP de Ribeirão Preto, em 107,9 MHz, e na Rádio USP SP, em 93,7 MHz, toda terça-feira, às 13 horas. Também nas duas emissoras, reprise aos domingos a partir das 17 horas.

Por: Thainan Honorato

 

  • 3
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados