Prefeitura altera zoneamento da cidade por vias indiretas, diz colunista

A professora Raquel Rolnik refere-se aos PIU (Projetos de Intervenção Urbana), que abrem brechas que permitem alterações

A proposta de revisão da Lei de Zoneamento de São Paulo já está gerando muita polêmica. Entidades da sociedade civil (associações de bairro, sindicatos etc.) enviaram carta aberta à Prefeitura, na qual questionam a medida, alegando que contraria o que está previsto no Plano Diretor da cidade, além de também chamarem a atenção para algumas propostas que não fariam muito sentido do ponto de vista do interesse público. Ocorre, porém, que, em meio a toda essa polêmica, o zoneamento da cidade já está sendo alterado. É o que sustenta a professora Raquel Rolnik em sua coluna semanal para a Rádio USP.

De acordo com ela, essa mudança está sendo feita por meio de um outro instrumento e de um processo muito mais perverso: os Projetos de Intervenção Urbana (PIU), que abrem brechas para projetos que permitem mudanças em quadras específicas, sem a necessidade de serem submetidos a um processo de discussão pública. “Vai-se mudando tudo, de uma maneira completamente fragmentada, um a um, sem passar por nenhum processo realmente significativo de discussão pública na cidade, e vai-se desmontando assim o zoneamento”, assegura a colunista.

Textos relacionados