Política nuclear nacional deve ser revista

O embaixador aponta potencial na extração de urânio em território nacional, mas País precisa rever suas políticas

  • 41
  •  
  •  
  •  
  •  

O assunto de Diplomacia e Interesse Nacional de hoje é a política nuclear brasileira. O Brasil tem a 7ª maior reserva de urânio do mundo, mas esse material só atende a apenas 15% da produção das usinas Angra I e II. O resto é importado.

Para o embaixador Rubens Barbosa, é preciso mudar a política brasileira em relação ao urânio, controlado no Brasil por monopólio estatal. “Seria importante uma nova política para aumentar a produção e, eventualmente, exportar.” Ele defende a possibilidade de abertura no mercado.

Por outro lado, o colunista prevê o aumento de perspectiva na demanda mundial de urânio, com as novas plantas de usinas nucleares em vários países. Nesse cenário, o preço no mercado internacional tende a subir, apresentando uma via interessante.

Ouça, na íntegra, a coluna Diplomacia e Interesse Nacional de hoje.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 41
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados