Planos pedagógicos auxiliam na educação de crianças cegas

Tratamento médico, agregado com estratégias pedagógicas, é de extrema importância para o aprendizado

Na coluna Fique de Olho desta semana, o professor Eduardo Rocha fala sobre o processo de educação de crianças deficientes visuais e suas dificuldades. Cerca de 80% das informações que uma pessoa recebe vêm dos olhos, o que torna a etapa de ensino e aprendizado de crianças que não enxergam bem ou que são cegas muito mais difícil. 

Para que o público infantil possa aprender plenamente, mesmo com suas dificuldades, é preciso que, primeiramente, seja avaliada a capacidade de visão da criança por especialistas, como o oftalmologista, o pedagogo e outros profissionais que acompanham sua educação para, desta maneira, traçar estratégias plausíveis de aprendizado.

Através desses planos pedagógicos é possível estimular o possível potencial visual da criança e também ampliar ao máximo os seus outros sentidos sensoriais.

É importante lembrar que junto a essas avaliações e estratégias é preciso sempre conciliar os tratamentos médicos para que, assim, a criança possa ter uma vida de qualidade, seja possível aprender normalmente e buscar sua própria independência.

Ouça acima, na íntegra, a coluna Fique de Olho, com o professor Eduardo Rocha.


Fique de Olho
A coluna Fique de Olho, com o professor Eduardo Rocha, vai ao ar toda quarta-feira às 10h00, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

.

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.