Pioneiro da eletrodinâmica quântica, Richard Feynman completaria 100 anos em 2018

Na coluna da semana, o professor Paulo Nussenzveig relembra parte do legado do vencedor do Nobel de Física de 1965

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

Na nova edição de Ciência e Cientistas, o físico Paulo Nussenzveig, professor e coordenador do Programa de Pós-Graduação do Instituto de Física (IF) da USP, discute o centenário do físico norte- americano Richard Feynman, um dos pioneiros da eletrodinâmica quântica e vencedor do Nobel de Física de 1965.

“É difícil fazer uma coluna original sobre alguém tão original, especialmente alguém sobre quem há tanto a dizer”, afirma o professor ao relembrar que, desde que era estudante de graduação, Feynman se interessou pelos problemas encontrados em eletrodinâmica quântica. Entre suas inúmeras realizações, Nussenzveig destaca que “Feynman trabalhou em Los Alamos, no esforço de guerra americano para produzir uma bomba atômica. Lá, ainda estudante de doutorado, ele impressionou vários dos maiores físicos da época, como Robert Oppenheimer, Hans Bethe e Niels Bohr, por seu
pensamento independente e por suas habilidades de cálculo”.

Ouça mais no áudio acima.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados