“Pílula Farmacêutica”: Anti-inflamatórios durante a gravidez podem causar hemorragias

A inflamação é um mecanismo gerado em resposta a algum tipo de agressão e os medicamentos para combatê-la devem ser tomados com orientação médica

  • 16
  •  
  •  
  •  
  •  

Ter uma inflamação é uma situação comum do dia a dia, muitas pessoas nem procuram o médico para tratar. O mesmo ocorre com as grávidas. A inflamação pode causar dor, febre, inchaço, vermelhidão, entre outros sintomas, e para curá-la são utilizados medicamentos anti-inflamatórios.

Em casos como esse, a automedicação não deve ser feita por nenhuma pessoa, por conta dos riscos para a saúde. As grávidas ou lactantes possuem um risco ainda maior ao se automedicar. Alguns dos medicamentos normalmente usados para combater a inflamação são: aspirina, diclofenaco, ibuprofeno.

Contudo, aspirina e anti-inflamatórios não esteroidais , por exemplo, não devem ser utilizados na segunda metade da gravidez, principalmente de forma contínua, pois podem provocar hemorragias. Quando for necessário o uso de anti-inflamatórios, o mais recomendado para grávidas é o paracetamol, entretanto, deve-se utilizar esse medicamento somente com indicação médica.

O boletim Pílula Farmacêutica é apresentado pelos alunos de graduação da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) da USP, com supervisão da professora Regina Célia Garcia de Andrade. Trabalhos técnicos de Luiz Antonio Fontana. Ouça, no link acima, a íntegra do boletim.

  • 16
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados