PIB não pode ser considerado termômetro da performance econômica

O professor Gilson Schwartz afirma que crescer aumentando a desigualdade apenas produz mais incertezas

 04/02/2019 - Publicado há 3 anos  Atualizado: 05/02/2019 as 11:20

O professor Gilson Schwartz nesta edição comenta sobre a distribuição de renda e como ela afeta o crescimento econômico. Em um relatório de 2009, os economistas Joseph Stiglitz e Jean-Paul Fitoussi alertaram que o PIB (Produto Interno Bruto) não é uma boa medida da performance econômica e social de um país, porque em geral não leva em conta as questões de distribuição de renda que geram a desigualdade social.

Para Schwartz, o importante é como fazer um crescimento sustentável em que se reduza, ao longo do crescimento econômico, não apenas as desigualdades de renda e de riqueza, mas também de todos os aspectos do bem-estar. “É fundamental focar nos indivíduos e suas famílias como unidades de análise e não somente no PIB. Crescer aumentando a desigualdade apenas produz mais incerteza sobre a sustentabilidade do próprio crescimento.”

Ouça no link acima a íntegra da coluna Iconomia.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.