Pesquisas de intenção de voto nos Estados Unidos ajudam a confundir público brasileiro, analisa colunista

Para Carlos Eduardo Lins da Silva, divulgação indiscriminada de dados de institutos pouco confiáveis deixa o brasileiro sem entender o comportamento do eleitor norte-americano

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A mídia brasileira divulga com frequência pesquisas de intenção de voto para a presidência dos Estados Unidos. Chama a atenção, no entanto, a diferença dos dados apresentados: em alguns, Hillary Clinton vence, em outros há empate entre os dois candidatos e também há aqueles em que Trump vence. Carlos Eduardo Lins da Silva, em entrevista à jornalista Marcia Blasques, comenta esse quadro.

Ouça a coluna na íntegra.

.

.

.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados