Pesquisadores também cometem bullying

Para Paulo Nussenzveig, o abuso de poder muitas vezes é sutil e de difícil caracterização

  • 217
  •  
  •  
  •  
  •  


A ocorrência de bullying no meio científico é o tema abordado pelo professor Paulo Nussenzveig. De acordo com o professor, quando se exerce a função de supervisor, é possível  cometer atos de bullying ao mudar constantemente as tarefas passadas aos seus subordinados, ou ao lhes passar tarefas impossíveis de realizar, ou prazos impossíveis de cumprir. “Muitas vezes, esses abusos são sutis e de difícil caracterização, o que complica tremendamente a tarefa de combatê-los. Há, evidentemente, uma grande área ‘cinzenta’, em que é difícil realmente caracterizar a interação como abusiva, ao invés de ser simplesmente ‘exigente’, o que se espera em ambientes onde se busca atingir as fronteiras do conhecimento”, analisa.

Ouça no link acima a íntegra da coluna Ciência e Cientistas.

 

  • 217
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados