Para colunista, estereótipos corroem a capacidade de pensar

Marcondes Filho: “A mente envelhece ao funcionar como máquina de uso repetitivo de clichês, esquemas e vícios mentais”.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn3Print this pageEmail

cab_ciro_marcondes

logo_radiousp790px

20160826_00_palavrasPalavras e frases não são neutras e têm um alto poder destrutivo. Em sua coluna desta semana, o professor Ciro Marcondes Filho dispõe-se a destrinchar o poder dos estereótipos, que ele considera “um pensamento pronto, uma frase que cola na nossa mente como um grude”. De acordo com ele, estereótipos entorpecem a nossa capacidade de pensar e, com isso, passamos a pensar e agir mecanicamente. Uma outra de suas características é agir no sentido de negar a realidade que nos cerca, bloqueando tudo que seja novo e que não esteja de acordo com nossas ideias preestabelecidas.

O colunista entende que os jornalistas, em função de estereótipos, acabam funcionando como agentes da manutenção de ideias, da conservação da cultura e de seus preconceitos. Para Marcondes Filho, só a reeducação da mente é capaz de combater os estereótipos.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn3Print this pageEmail

Textos relacionados