Os cuidados devem ser maiores na interação de medicamentos com psicofármacos

O uso concomitante de psicofármacos com outros medicamentos exige atenção e orientação médica

  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  

Como qualquer outro medicamento, os psicofármacos devem ser identificados e tomados com muito cuidado, pois podem apresentar efeitos colaterais, uns de forma esperada e outros não. Por isso, só devem ser tomados sob prescrição médica, e qualquer queixa de sintomas deve ser informada ao médico para nova orientação.

Além dos efeitos, outro fato que preocupa no consumo desses fármacos é a interação medicamentosa, que acontece quando a pessoa está tomando outro medicamento, além do psicofármaco, ou com alimentos e até mesmo substâncias químicas.

Foto: Airman Valerie Monroy via Wikimedia Commons / Domínio público

Além disso, esses medicamentos influem diretamente no sistema nervoso central, por isso nunca devem ser ingeridos sem a indicação de um profissional da saúde. Para as pessoas incapazes de tomar o medicamento sozinho, os cuidadores devem redobrar a atenção, verificando se de fato o paciente ingeriu o fármaco.   

O boletim Pílula Farmacêutica é apresentado pelos alunos de graduação da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) da USP, com supervisão da professora Regina Célia Garcia de Andrade. Trabalhos técnicos de Luiz Antonio Fontana. Ouça, no link acima, a íntegra do boletim.

  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados