Os cem dias de inexperiência e conflitos de Donald Trump

Para debater o tema, o programa Diálogos na USP recebeu os professores Carlos Eduardo Lins da Silva e Maria Aparecida Aquino

Por - Editorias: Atualidades, Rádio USP
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Parte 1:

Parte 2:

.
No último dia 29,  o presidente dos Estados Unidos completou 100 dias na Casa Branca. Sem dúvida, é o  mais controverso, inexperiente e conflituoso homem a liderar a mais importante nação do planeta. Ele  falhou em suas promessas. Donald Trump viu suas principais ações derrotadas, incompletas ou bloqueadas pela Justiça. Por outro lado, não chegou a ser o desastre que alguns críticos alarmistas previam. Após sequer contar com a tradicional lua de mel com os americanos, terá desafios ainda maiores para os 1.361 dias que restam de seu mandato para tentar impor sua marca na história.

Especialistas  afirmam que Trump não avançou sequer nos pontos que disse que faria em seu primeiro dia na Casa Branca, como iniciar a construção do muro na fronteira com o México (e obrigar que os vizinhos pagassem pela obra), deportar milhões de ilegais criminosos, revogar o Obamacare, sair da Otan e declarar a China um país manipulador de sua moeda. Além disso, teve que ver um de seus principais assessores, Michael Flynn, sair do governo, acusado de ter colaborado com a Rússia, justamente durante investigações sobre a interferência de Moscou na eleição de 2016.

Fora tudo isso, a sua baixa aprovação, a menor entre os presidentes modernos nesta fase do mandato, piorou desde a posse — segundo o instituto de pesquisa Ipsos, a parcela de americanos que o desaprova passou de 45% durante sua primeira semana na Casa Branca para 55% agora.

As mudanças bruscas de opinião em política externa comprovam o que os analistas indicam ser uma mistura de despreparo, improviso e arrogância de Trump.

Para falar sobre o tema Cem dias de Donald Trump,  o Diálogos na USP recebeu os  professores Carlos Eduardo Lins da Silva (livre-docente em Comunicação pela USP e membro do Gacint – Grupo de Análise da Conjuntura Internacional da USP) e a professora de História Contemporânea da USP, Maria Aparecida Aquino.
.

Maria Aparecida Aquino e Carlos Eduardo Lins da Silva no programa Diálogos da Rádio USP – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

.
Esta edição do Diálogos na USP teve apresentação de Marcello Rollemberg, produção de Sandra Capomaccio e trabalhos técnicos de Marcio Ortiz.

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados