O contexto de mudança cultural está inserido no rock brasileiro

O estilo é um exemplo do fenômeno mundial cultural que atravessa fronteiras

Nesta edição do programa História do Rock, o professor Mario De Vivo fala sobre os universos paralelos do rock e continua a mostrar o rock brasileiro pós década de 1980.   

As novas gerações que se identificam com o rock, ouvem músicas similares e criam músicas com pegadas semelhantes em países mais diferentes possíveis. A questão de um fenômeno mundial cultural é interessante, porque as culturas são sempre regionais, refletem uma situação adaptativa regional de uma sociedade, de um povo ou de uma etnia.     

Talvez o aspecto mais importante é que o globalismo e o nacionalismo não começam na política, mas sim na cultura que, primeiro, faz cada um se identificar com um grupo social e se há um fenômeno cultural mundial que atravessa fronteira, as pessoas que se identificarem com isso passam a pertencer a novos grupos sociais. “A cultura é a alma da nossa identidade, a política é a exigência econômico-militar da identidade”, afirmou.   

O rock está em toda parte foi e é o arauto dos novos tempos. “Exploramos o rock brasileiro de forma ampla, vimos suas várias fases e que o rock brasileiro está inserido num contexto de mudança cultural global, numa tendência globalizante da cultura”, concluiu.

Ouça no link acima a íntegra do programa História do Rock.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •