O caminho mais rápido para se endividar é usar o cheque especial

O conselho é usar somente em emergências, com quitação rápida para não acumular dívidas

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Na primeira edição desta semana do boletim Em dia com o Direito, o aluno Caio Tolentino fala sobre os riscos do uso do limite do cheque especial, que consiste no empréstimo pré-aprovado disponibilizado pelo banco na conta-corrente do cliente.  

O cheque especial começa a ser usado assim que o saldo da conta-corrente acaba e vai gerar uma dívida automaticamente.  Tolentino alerta que os juros do cheque especial são extremamente altos, chegam a 331% ao ano. Dessa forma, aconselha evitar o uso sempre que possível “havendo necessidade de crédito, existem várias outras modalidades que valem muito mais a pena e possuem taxas mais baixas; dessa maneira não devemos nos deixar levar por essa facilidade de acesso ao limite”.

O Em dia com o Direito é produzido e apresentado por alunos do curso de especialização em Direito Civil: Novos Paradigmas Hermenêuticos nas Relações Privadas e coordenado pelo professor Nuno Coelho da Faculdade de Direito de Ribeirão Preto (FDRP) da USP.  

 Ouça, no link acima, a íntegra do boletim.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados