Núcleo da USP estuda, há 30 anos, formas de combate à violência

Núcleo de Estudos da Violência atua na mudança de mentalidade social e na formulação de políticas públicas

  • 56
  •  
  •  
  •  
  •  

jorusp

O Momento USP Inovação desta semana conversa com o professor Sérgio Adorno, coordenador do Núcleo de Estudos da Violência (NEV) da USP. O núcleo, atualmente, é um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid) e integra a Fapesp, realizando há 30 anos pesquisas relacionadas à violência, democracia e direitos humanos por meio de uma abordagem interdisciplinar.

O centro surgiu durante a redemocratização do País, um momento que deveria significar o declínio da violência. Contudo, segundo Adorno, é possível notar a permanência da violência apesar da retomada dos processos democráticos, da garantia de direitos individuais e da atribuição ao Estado de garantir a segurança pública a partir da Constituição Federal de 1988. A persistência da violência gerou o desenvolvimento de estudos sobre as políticas públicas de segurança, o papel da polícia e do sistema judiciário, o sistema carcerário e, recentemente, sobre o crime organizado.

Além dessas pesquisas, o NEV desenvolve também, ao longo de sua existência, o acompanhamento sobre representações sociais de justiça, de direitos e da violência, e aborda a forma que os cidadãos enxergam os problemas da sociedade.

De acordo com o professor, é possível notar a insuficiência das políticas de segurança instauradas no País atualmente. Apesar da segurança ser um direito para todos, os diferentes segmentos da sociedade apontam que nada muda há algum tempo. “Os crimes cresceram, ficaram mais violentos, e o sistema de justiça ficou preso ao passado.” Para Adorno, a estabilidade dos níveis de violência mostra que é preciso mudar a forma de organização da segurança no País através do investimento em conhecimento e monitoramento das circunstâncias nas quais os crimes ocorrem.

O estudo sobre a violência não deve se restringir apenas a uma área do conhecimento. É um problema que necessita da contribuição de diversas disciplinas, para melhorar o conhecimento, reflexão e proposição de soluções. Nesse sentido, é necessária uma compatibilidade de discurso entre os componentes para a melhor comunicação dentro núcleo.

Como Cepid, o núcleo desenvolve uma pesquisa de intervenção da realidade que pretende estar à disposição da sociedade. O desafio enfrentado pelo NEV é a modificação da mentalidade e a formulação de políticas públicas, além de mostrar que é possível enfrentar o problema de segurança no País ao combinar a legislação com instrumentos que permitam o controle da violência e o fortalecimento dos direitos humanos. O núcleo, então, desenvolve iniciativas como o trabalho em escolas, parcerias com outros Cepids e a criação de um aplicativo que permite o monitoramento de casos de roubos e furtos na cidade de São Paulo. 

Além do mais, o núcleo ainda realizou o projeto Monitor da Violência, em parceria com o portal G1 e o Fórum Brasileiro de Segurança, que fiscalizava os casos de homicídios no País durante um período de tempo e venceu a premiação internacional de jornalismo de dados, com o Data Journalism Awards.

Jornal da USP no Ar, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93,7, em Ribeirão Preto FM 107,9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular. Você pode ouvir a entrevista completa no player acima.

  • 56
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados