Novo tratamento para dor crônica já está disponível no Brasil

Para Guilherme Alves Lepski, o procedimento resume-se a um implante na região onde há dor constante. A cirurgia é recomendada para quem possui dor decorrente de lesões nos nervos

 16/08/2021 - Publicado há 3 meses
A cirurgia é recomendada para pacientes que possuem dor decorrente de lesões nos nervos, que causam o quadro de constante dor – Imagem: Wikimedia Commons

 

Uma nova cirurgia para tratamento da dor crônica está disponível no Brasil para o tratamento de pacientes que sofrem com o problema. O procedimento consiste na colocação de um implante, um estimulador ganglionar, na região onde há dor constante para o seu controle. A cirurgia é recomendada para pacientes que possuem dor decorrente de lesões nos nervos, que causam o quadro de constante dor. A expectativa de melhora nos quadros que passam por esse procedimento é de acima de 80% em alguns casos. 

“Para a dor neuropática, a estimulação medular sempre foi um tratamento, uma opção de tratamento”, contou ao Jornal da USP no Ar 1ª Edição, Guilherme Alves Lepski, médico neurocirurgião e livre-docente do Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina da USP. Segundo ele, essa nova técnica existe no exterior desde 2014 e, desde então, vêm sendo publicados trabalhos e artigos que buscam comprovar a efetividade do tratamento antes que ele chegasse ao Brasil, em 2021.

Trata-se de um procedimento minimamente invasivo, sem a necessidade de anestésicos fortes, para a implantação de um eletrodo na região nervosa onde está localizada a lesão do nervo e, por consequência, a dor crônica. A cirurgia é direcionada para pacientes que possuem dor crônica por um determinado período de tempo e que tenham esgotados os tratamentos convencionais para o controle do quadro.

A realização da cirurgia é resultado de muitos anos de pesquisa, feita em parceria com instituições de fora do País para garantir a eficácia do tratamento. Atualmente, há artigos e publicações sobre o assunto disponibilizados para que profissionais da área conheçam a técnica e sua efetividade. No momento, a cirurgia está disponível somente na rede particular de saúde, no entanto, de acordo com Lepski, por tratar-se de uma variação de um procedimento disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), a previsão é que ele possa estar disponível para o público geral em breve.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 10h45, 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.