Novo ensino médio trará mudanças focadas na profissionalização de estudantes

Carmen Sylvia Vidigal Moraes enfatiza que essas mudanças contrariam a Constituição de 1988 por buscarem uma vertente mais utilitarista do ensino, diminuindo a carga horária de disciplinas como filosofia e sociologia

 05/11/2021 - Publicado há 1 mês  Atualizado: 08/11/2021 as 10:59
Na agenda do MEC há articulações da reforma do ensino médio em um conjunto muito mais amplo que reformulações curriculares    – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

 

A implantação do novo ensino médio está prevista para começar ano que vem, não prevê mudanças na carga horária e traz possibilidades para os estudantes escolherem áreas específicas de profissionalização. Em entrevista ao Jornal da USP no Ar 1ª Edição, Carmen Sylvia Vidigal Moraes, professora da Faculdade de Educação (FE) da USP, contou dos problemas por trás dessa reforma, alegando que não representa a base social a qual se destina. “Nós temos aí a ascensão do setor empresarial, que cada vez tem mais influência e tem interferido no plano nacional”, afirma Carmem.

Segundo Carmem, na agenda imposta pelo MEC há articulações da reforma do ensino médio em um conjunto muito mais amplo que reformulações curriculares. A professora também enfatiza que essas mudanças contrariam a Constituição de 1988 por buscarem uma vertente mais utilitarista do ensino, diminuindo a carga horária de disciplinas como filosofia e sociologia. 

“Há uma ênfase em conteúdos de uma perspectiva instrumental e deixando de dar disciplinas que sempre fizeram parte da organização do ensino médio, que propiciam à juventude um olhar para o mundo, um olhar mais amplo”, explica a professora.

Outro ponto destacado é a questão da formação dos professores. Na visão de Carmem, nesse novo modelo, eles ficarão como aplicadores de técnicas prontas e não terão trabalho intelectual autônomo, além de isso ser contrário ao que os pensadores do projeto educacional e a comunidade científica pensam.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 10h45, 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.