No Dia Internacional da Luz, professor descreve a invenção do laser

A data de 16 de maio foi escolhida já que foi neste dia, em 1960, que Theodore Maiman demonstrou o funcionamento do primeiro laser

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

 

Na nova edição de Ciência e Cientistas, o físico Paulo Nussenzveig, professor e coordenador do Programa de Pós-Graduação do Instituto de Física (IF) da USP, abre as comemorações do dia 16 de maio, declarado pela Unesco como Dia Internacional da Luz. A iniciativa surgiu do sucesso do Ano Internacional da Luz, celebrado em 2015.

“A data de 16 de maio foi escolhida por uma efeméride: foi nesse dia, em 1960, que Theodore Maiman demonstrou o funcionamento do primeiro laser”, conta o professor, cuja especialidade no campo da física é justamente a Ótica. “Laser é luz”, aponta ele. “Mas essa luz tem propriedades especiais, diferentes da luz que recebemos do Sol ou da chama de uma vela ou de um filamento aquecido”. Conforme Nussenzveig, a história do desenvolvimento do laser é interessante porque evidencia como um problema eminentemente de curiosidade científica levou a uma verdadeira competição.

“De fato, quando o laser foi inventado, muitos diziam ser uma solução em busca de problemas”, explana ele.

Ouça mais no áudio acima.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados