No Brasil atual, o Judiciário é o poder supremo, diz colunista

É estranho que pessoas saiam dos governos e sejam nomeadas para o STF, como foi o caso de Francisco Rezek

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

logo_radiousp790px

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania sabatina Alexandre de Moraes para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal - Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado
A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania sabatina Alexandre de Moraes para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal – Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

O professor Renato Janine Ribeiro, na sua coluna “Ética e Política” desta semana, comenta o que há de perigoso com a aproximação entre Poder Executivo e Poder Judiciário. Para ele, via Supremo Tribunal Federal (STF), o Judiciário tem a palavra final, ou seja, tanto Executivo como Legislativo a ele acorrem e se submetem à sua decisão. Ora, isso não é bom para o País, diz Janine, os poderes deveriam e devem ser harmônicos.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados