Necessidade obriga paulistanos a saírem às ruas durante quarentena

O professor Heitor Frugoli Jr. (FFLCH) também culpa o descaso do governo federal, diante dos efeitos da pandemia, pelo relaxamento da população em relação ao isolamento social

Todos os dias somos surpreendidos com o número de mortos ou de pessoas  infectadas pela pandemia da covid-19 no Brasil e no mundo e, apesar de assustador, muitos parecem não entender a importância de respeitar a quarentena e ficar em casa. O professor do Departamento de Antropologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, Heitor Frugoli Jr., avalia que grande parte do movimento que se vê nas ruas é de pessoas menos favorecidas, que saem de casa para garantir seu emprego ou seu abastecimento. Ele destacou ainda o lado positivo dessa quarentena, que é a solidariedade.
Acompanhe, pelo link acima, a íntegra da matéria.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.