Não se pode desistir de tentar solução para a Cracolândia

Para o professor Paulo Saldiva, um dos grandes problemas é a falta de um sistema de atenção às doenças mentais

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

As ações empreendidas na Cracolândia, com o objetivo de dar uma solução para esse grave problema social, são o tema da coluna semanal do professor Paulo Saldiva. De acordo com ele, nenhuma das iniciativas apresentadas pelas diversas administrações municipais levou a uma solução até agora. Ele observa que se trata de um problema típico das grandes cidades, e lembra que a dependência e o uso continuado de substâncias psicoativas promovem alterações cerebrais importantes. “A dependência se torna não só orgânica, mas estrutural.”

No entender do colunista, a Cracolândia é uma consequência e não o problema em si, que deve ser buscado na falta de um sistema de atenção às doenças mentais em geral. O fato é que não se consegue dar conta da magnitude do problema, mas também é um fato que não se pode desistir de tentar ajudar os dependentes em crack e cocaína. A solução, diz Saldiva, está muito acima de qualquer consideração política e/ou eleitoral.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados