Nanotecnologia atua para melhorar extração de óleo no pré-sal

Uso de física fundamental em poros rochosos pode tornar extração do petróleo mais eficiente e não poluente

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

O professor do Departamento de Física de Materiais do Instituto de Física (IF) da USP,  Caetano Miranda, considera que um grande desafio do diálogo entre a nanotecnologia e a engenharia foi a diferença de linguagem. Enquanto a escala da primeira era muito reduzida, a engenharia trata de dimensões quilométricas. Porém, 10 anos depois do início dos estudos, esse diálogo tem sido bem-sucedido.

O pesquisador explica que a nanotecnologia é aplicada nas interfaces porosas das rochas, e através do aumento da pressão se obtém uma maior produção do óleo. Professor Caetano comenta também que os estudos se encaminham na tentativa de compreender o sucesso dessas aplicações e, além disso, desenvolver técnicas ambientalmente amigáveis na exploração dos recursos do pré-sal.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados