Música atua no cérebro de forma similar ao consumo de drogas

A música tem a capacidade de influenciar o humor e de melhorar o desempenho em tarefas viso-espaciais

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Segundo o doutor em Ciências, com ênfase em fisiologia pela USP, Felipe Rodrigues, a música afeta o cérebro ao acionar mecanismos de expectativa e recompensa. Se a música atende às expectativas, existe a recompensa. Se não há a concretização do esperado, o cérebro responde com frustração.

Ele explica que certos padrões moldam essa interação, direcionando o prazer da escuta musical. No entanto, o ensino formal pode desenvolver a capacidade de apreciar aspectos diferentes, como as dissonâncias presentes no jazz. Além disso, é comprovado que o estudo formal de música traz melhor desempenho em tarefas de atenção.

O pesquisador ainda esclarece que as músicas mais agitadas têm a capacidade de afetar o humor do ser humano, contribuindo para um melhor desempenho em tarefas viso-espaciais.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados