Mundo caminha para o desenvolvimento sustentável, apesar dos obstáculos

Ao analisar a questão na escala global, o colunista diz tratar-se de um processo de longo prazo, mas com altos e baixos

  • 27
  •  
  •  
  •  
  •  

Com a visão de quem estuda e analisa o desenvolvimento sustentável há mais de 20 anos, o professor José Eli da Veiga avalia que a questão no mundo é um processo de longo prazo. Segundo o colunista, ainda há muitos obstáculos. “Mas tudo caminha de forma constante”, afirma. Ele cita como exemplo uma reunião de líderes em Nova York, no último dia 26 de setembro, chamada Um Planeta. Do encontro, segundo o colunista, foram tiradas sete importantes decisões, como o estabelecimento de uma rede de finanças para o desenvolvimento sustentável e o investimento de US$ 1 milhão em energia nos países em desenvolvimento, entre outras.

Em relação ao Brasil, Eli da Veiga avalia que o processo é semelhante. “Há boas notícias e motivos para sermos otimistas em relação ao desenvolvimento sustentável, mas por aqui também temos obstáculos”, lamenta. De acordo com o colunista, o caso mais recente é em relação ao êxito do último leilão de petróleo, com a venda da 5ª Rodada de Partilha do petróleo do pré-sal. Para Eli da Veiga, num país que tem dificuldades com suas contas públicas, aumento de arrecadação é sempre uma boa notícia. “Todos estão festejando, mas é bom lembrar que dar sobrevida ao petróleo é contraditório com qualquer objetivo de desenvolvimento sustentável”, alerta.

  • 27
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados